como evitar riscos na faxina
Sociedade

Dicas para evitar riscos à saúde na hora da limpeza

Limpar a casa é uma tarefa essencial na vida de todos, mas é preciso tomar algumas precauções na hora de fazer faxina para evitar ter problemas como intoxicações, alergias, falta de ar, náuseas e até mesmo câncer, se usados a longo prazo.

Alguns produtos de limpeza disponíveis no mercado aparentemente inofensivos podem trazer sérios danos à saúde.

De uma forma geral, todos os produtos convencionais disponíveis em supermercados e lojas especializadas em material de limpeza são produzidos com alguma substância nociva em sua composição. “Um produto pode ser cancerígeno, outros podem causar alergias ou até mesmo ser neurotóxicos. A infinidade de substâncias e suas possíveis combinações tornam ainda mais difícil a missão de apontar quais são os produtos mais insalubres”, esclarece Allan Lopes, fundador e diretor global da Healthy Building Certificate (HBC), empresa que oferece consultoria na área de construções saudáveis.

Segundo ele, é preciso estar sempre atento ao rótulo e instruções de uso dos fabricantes. Ele ressalta que a maioria das pessoas não possui conhecimento técnico e as formulações dos produtos químicos constantes nos materiais de limpeza variam de marca para marca. Confira algumas dicas para garantir uma faxina eficiente e, ao mesmo tempo, segura:

1. Não use removedor

Um dos solventes mais comuns na limpeza dos lares brasileiros, o removedor é tido como um produto versátil e de ação instantânea na remoção de manchas e limpeza de superfícies. Mas o que nem todos sabem é que o produto é feito a partir da mistura de nafta hidrodessulfurizada pesada, benzeno e fragrância, que são substâncias altamente tóxicas e alérgicas. “O removedor é o produto mais perigoso entre todos os outros. Ele possui grandes concentrações de benzeno, um agente cancerígeno e capaz até mesmo de alterar a regulação natural de hormônio em nosso organismo”, explica Allan.

Somado aos danos à saúde, por ser corrosivo, o removedor também pode danificar móveis envernizados e pisos de madeira e não deve ser usado para a limpeza de fornos e fogões, pois se trata de uma substância inflamável. 

2. Água sanitária

Outro vilão entre os produtos de limpeza é a água sanitária. Contendo hipoclorito de sódio, mesmo que em baixa concentração, a água sanitária libera o gás cloro, que pode provocar irritação das vias aéreas, lacrimejamento e dores de cabeça, além de piorar um quadro asmático já existente.

“É importante lembrar que, apesar de não ser tão nociva quanto o removedor, a água sanitária deve ser empregada com cautela e seguindo à risca as orientações do fabricante que estão presentes no rótulo”, orienta Allan. O profissional ainda recomenda o produto sanitizante não deve ser aplicado em ambientes fechados e com pouca ventilação.

3. Não misture produtos

Outra grande ameaça na limpeza doméstica está no hábito de misturar produtos diversos. Por não conhecer os ingredientes de cada um, corre-se o risco de criar compostos extremamente nocivos. Além disso, não há nenhuma evidência de que o poder de limpeza dos produtos será somado e isso tornará a faxina mais fácil. Em casos de alergia, é ainda maior a dificuldade para identificar o produto responsável pelo problema de saúde.

Um exemplo corriqueiro nas casas brasileiras é a mistura da água sanitária com outros artefatos. Uma combinação que ficou comum com a pandemia foi a água sanitária com álcool. Apesar de ambos possuírem ação sanitizante, o efeito é anulado quando os produtos são misturados. O hipoclorito e o álcool são destruídos e formam um novo composto, o acetaldeído, que não mata o coronavírus e ainda pode causar irritação e queimadura na pele.

4. Receitas Caseiras

Uma opção para quem deseja substituir o uso de produtos de limpeza convencionais é apostar nas famosas receitas caseiras e seguras. Além de mais saudáveis, boa parte delas podem ser feitas a partir de água, vinagre de álcool, bicarbonato de sódio e álcool.

Para limpar vidros e deixar os espelhos livres de manchas, é necessário apenas 250 ml de água, 200 ml de álcool e 1 colher de sopa de vinagre branco. Já se o desafio é desengordurar aquele cantinho da cozinha, a prescrição é adicionar 500 ml de água, 2 colheres de sopa de vinagre e 5 colheres de sopa de bicarbonato de sódio.

Outra boa alternativa, segundo Lopes, é investir em produtos naturais e biodegradáveis. “Eles são produzidos, em sua maioria, a partir de plantas, não oferecem prejuízos à saúde, são sustentáveis e responsáveis com os impactos no ciclo produtivo no meio ambiente, que engloba desde as etapas de fabricação até a utilização em cada casa”, finaliza o especialista. 

LEIA TAMBÉM:

Decisões cotidianas definem qualidade de vida

Como você se sentiu?

Animado
0
Feliz
0
Amei
0
Não sei
0
Bobo
0

Você pode gostar também

Mais em:Sociedade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *