Estilo

Dicas para fazer uma decoração de casa saudável

Características de uma casa, como a disposição dos móveis, iluminação e organização dos cômodos, influenciam diretamente na qualidade de vida dos moradores e podem até mesmo potencializar o aparecimento de doenças.

Além da escolha de materiais e os itens de decoração, a organização do ambiente garante mais conforto e segurança ao morador, e deixam mais agradáveis os hábitos diários. Outro aspecto é a criação de um ambiente na residência específico para o trabalho — o chamado home-office.

Quarto relaxante

Especializado em biologia da construção, o consultor Allan Lopes explica que o dormitório precisa ser entendido pelos moradores como um ‘templo’. “É nesse ambiente que buscamos o descanso para o nosso corpo e reorganizamos as nossas ideias no campo mental. Por isso, ele precisa ser tratado como o centro da casa”, recomenda. Independentemente do estilo decorativo escolhido pelos moradores, ele afirma que, no momento de dormir, o ambiente deve apresentar duas condições essenciais para um sono profundo e relaxante: a ausência de luz, deixando o cômodo totalmente escuro, bem como o silêncio que conduz ao adormecimento.

Vacinação combina com doação

Além destes cuidados, uma boa pedida também é investir em mobílias com o máximo de componentes naturais possíveis. “Ao definir o mobiliário, recomendo evitar peças que apresentem cola em sua composição ou montagem. Estes materiais, muitas vezes, são tóxicos e nocivos à saúde”, complementa o arquiteto Marcos Casado. Para tanto, a sugestão é elaborar a disposição do dormitório com móveis de madeira que possuam certificados FSC ou Cerflor com documento de origem florestal da madeira.

Escolha do colchão ideal 

O colchão também pode ser outro grande vilão dos quartos. A depender do modo de fabricação, os especialistas da HBC revelam que alguns modelos convencionais carregam mais de 150 substâncias, sendo muitas delas nocivas à saúde. O poliuretano e retardantes de chamas são alguns dos componentes tóxicos e que podem causar problemas respiratórios, dores de cabeça e até mesmo câncer. “Sem contar o impacto negativo que esses itens oferecem ao meio ambiente, uma vez que são de difícil reciclagem e podem demorar centenas de anos para a sua decomposição”, detalha Casado.

Entre as opções salutares, é recomendável escolher colchões produzidos com fibras naturais como o algodão, bambu ou látex.

Ondas eletromagnéticas podem trazer problemas

Segundo o consultor Allan Lopes, o mito de que o uso de micro-ondas pode causar câncer tem um fundo de verdade. As ondas eletromagnéticas emitidas por eletrodomésticos e eletrônicos presentes no cotidiano não provocam tumores, mas podem, sim, trazer irritabilidade, insônia e dor de cabeça em até 10% da população mundial que é considerada eletrossensível, de acordo com estudos divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Apesar de saber que é impossível estar 100% livre das ondas, o diretor global da HBC aconselha que exposições excessivas e desnecessárias sejam evitadas, sempre que possível. “Pequenas medidas podem cooperar para o nosso bem-estar. Por exemplo, se os aparelhos eletrônicos não estiverem em funcionamento, desligue-os das tomadas. Pode ser um pouco mais trabalhoso desconectar o roteador de Wi-fi após o uso, mas estamos falando de saúde. Vale a pena tentar!”, incentiva Lopes.

Ventilação e iluminação

Uma casa saudável deve ser sempre bem ventilada e naturalmente iluminada. As janelas devem ser abertas, pelo menos uma vez ao dia, e preferencialmente durante a manhã, enquanto a poluição do ar, principalmente nas grandes cidades, ainda estiver menor. A luz do sol e a troca constante do ar ajudam a evitar proliferação de fungos, bactérias e mofos.

Outra dica do CEO da HBC Brasil é evitar o uso do ar-condicionado. Além de prejudicar a qualidade do ar, o aparelho demanda manutenção periódica e não é nada econômico. “Caso seja mesmo necessário o uso do ar condicionado, busque comprar equipamentos que promovam a filtragem e a ionização do ar, além de prever a renovação interna do ar e que sejam silenciosos”, recomenda Casado.

Mobílias do tamanho certo

Na hora de escolher o mobiliário da casa é importante levar em consideração a estatura dos moradores. A altura da pia da cozinha, por exemplo, deve ser adequada e confortável para quem vai utilizá-la na rotina diária. “Questões de medida e proporção devem ser analisadas em todos os cômodos. Tudo deve ser ergonômico e funcional para auxiliar nas tarefas do dia a dia e não trazer perigo às pessoas”, continua Lopes.

Home office

Com a pandemia, o número de pessoas que aderiram ao home office de forma definitiva cresceu ainda mais. Por isso, algumas adaptações devem ser feitas no lar para atender essa nova necessidade. “Tente separar o escritório do restante da casa. Porém, caso não seja possível, pelo menos setorize este espaço com o uso de uma mesa e cadeira apropriada. O importante é não trabalhar sentado na cama ou sofá com o notebook no colo”, finaliza Casado.

LEIA TAMBÉM:

Biofilia na arquitetura torna ambientes mais agradáveis

Como você se sentiu?

Animado
0
Feliz
0
Amei
0
Não sei
0
Bobo
0

Você pode gostar também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *