Desembargador andou armado
Conversa Dura

Temendo ser agredido, desembargador da carteirada andou armado

Após seu comportamento ganhar repercussão nacional, o desembargador Eduardo Almeida Prado Siqueira voltou a caminhar em Santos na quarta-feira (22), com máscara e armado.

Conhecido no círculo íntimo como Siqueirinha, o desembargador estava acompanhado por dois homens, um deles seria seu filho, Carlos Siqueira, e o outro um policial.

O passeio de Siqueirinha foi curto. Ele saiu do prédio onde mora, no bairro Aparecida, caminhou por uma praça próxima à unidade do Sesc de Santos e depois pela praia, nas proximidades do canal 5.

Treta com o vizinho

Arrumar encrencas e portar arma parece ser uma rotina para Siqueirinha. Há o relato de que certa vez ele foi à casa de um vizinho, por volta de 16 horas, para reclamar do som alto. Segundo o vizinho, mais uma vez ele fez questão de lembrar sua condição de desembargador e deixar claro que portava uma arma na cintura.

Siqueirinha fala em “armação” e vídeo “tirado do contexto”

Siqueirinha anunciou que não vai dar entrevistas, mas divulgou uma nota com sua versão do episódio. Diz que foi vítima de armação e que o vídeo foi tirado do contexto.

“O vídeo é verdadeiro, o fato realmente aconteceu, mas foi tirado do contexto, que eu gostaria de esclarecer, para que seja considerado nesse verdadeiro julgamento público – ou melhor, linchamento – que se estabeleceu sobre a minha conduta, sem que a minha versão dos fatos seja conhecida”, escreveu. “Acabei sendo vítima de uma verdadeira armação. A abordagem foi editada e completamente diferente das que recebi antes, mas com uma câmera previamente ligada, fazendo parecer que de vítima sou o vilão”.

Como você se sentiu?

Animado
0
Feliz
0
Amei
0
Não sei
0
Bobo
0

Você pode gostar também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *