Swayambhu simboliza harmonia entre budistas e hindus
Viagem

Swayambhu simboliza harmonia entre budistas e hindus

Localizada a três quilômetros a noroeste de Katmandu, Swayambhu é um dos mais sagrados stupas budistas do Nepal. Também é conhecido como “Templo dos Macacos”, por motivos óbvios: a quantidade de mamíferos desta espécie soltos, desenvoltos e ousados.

Considerada a mais antiga do gênero no Nepal, a stupa é uma clara demonstração de fé e harmonia, por reunir templos e divindades hindus incorporados a um local budista. Assim, o local é cultuado tanto por budistas como por hindus. O maior número de visitas se verifica no aniversário de Buda, geralmente em maio.

VEJA TAMBÉM:

Vacinação combina com doação

Pashupatinath transborda devoção e simbolismos

Os olhos de Buda que tudo veem em Boudhanath

Visão panorâmica de Katmandu

Para se chegar ao topo do santuário é preciso vencer uma escadaria com degraus de pedra muito íngremes. No entanto, há também uma estrada motorizada subindo quase até o topo de onde fica uma curta caminhada. Do topo, tem-se uma visão panorâmica de Katmandu.

Os fieis relatam que a estupa foi construída em 460 d.C. pelo rei Manadeva e, no século XIII, tornou-se um importante centro do budismo. Mas reza a lenda que Swayambhu nasceu de uma flor de lótus que floresceu no meio de um lago que já se espalhou pelo vale de Katmandu.

O maior buda no Nepal

A maior imagem do Buda Sakyamuni, no Nepal, fica em um pedestal alto, na fronteira oeste de Swayambhu, ao lado do anel viário. Atrás do topo da colina, há um templo dedicado a Manjusri (ou Saraswati), a Deusa da aprendizagem.

Chaityas, estátuas e santuários de deuses budistas e hindus enchem o complexo da estupa. A base da colina é quase inteiramente cercada por rodas de oração e divindades. Os devotos podem ser vistos circulando a estupa em todos os momentos.

Os monumentos que mais atraem peregrinos são:

  • O raio de Vajra banhado a ouro, situado no lado leste da estupa.
  • Estátua de Buda no lado oeste de Swayambhu.
  • O Buda adormecido.
  • O Mosteiro Dewa Dharma, conhecido por um ícone de bronze do Buda e pinturas tradicionais tibetanas.
  • O templo dedicado a Harati, deusa de todas as crianças.

CONFIRA MAIS EM:

Bhaktapur mantém características seculares

Patan, uma cidade artística no Vale de Katmandu

Como você se sentiu?

Animado
0
Feliz
0
Amei
0
Não sei
0
Bobo
0

Você pode gostar também

Mais em:Viagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *