tênis para viagem
Viagem

Qual o melhor tênis para uma viagem

O melhor tênis para uma viagem deve ser escolhido levando em conta dois aspectos principais: o conforto e o tipo de lugar para onde você vai.

Pode parecer óbvio, mas é isso mesmo! Muita gente não entende, ou não aceita o óbvio e acaba fazendo escolhas inadequadas — e o preço vem, muitas vezes alto!

A escolha errada de um tênis pode trazer muito desconforto, dores e lesões, até graves. O viajante acaba cometendo estes equívocos para “sair bem na foto”, ficar elegante ou mesmo por um impulso de comportamento (escolher o tênis de tal cor para combinar com a calça ou a blusa).

O melhor tênis para uma viagem deve ser confortável

É evidente, mas isso se consegue tomando algumas precauções. A primeira delas é a numeração. O tênis não deve ficar absolutamente justo nos pés, pois a tendência é eles incharem durante as caminhadas comuns nas viagens e o calçado fatalmente ficará apertado.

Isso pode provocar desde incômodos a até mesmo dores fortes, e ainda há o risco de abrir feridas.

Para evitar isso, muita gente faz o inverso e acaba cometendo outro erro: adquire um par de tênis com a numeração muito maior. Resultado: o calçado fica folgado, os pés ficam “dançando” dentro, provocando uma enorme sensação de incômodo. Pode até mesmo acontecer algum acidente, com o tênis saindo do pé. Pode parecer absurdo, mas são muito normais relatos de quedas durante caminhadas em viagens, uma vez que a pessoa tende a ficar mais distraída com as atrações por onde passa e também o cansaço, que mina a capacidade de concentração.

É preciso “lacear” o tênis

Nada de levar para a viagem aquele tênis que você acabou de comprar e ainda está com aquele cheiro de novinho! Os tênis para uma viagem precisam ser amolecidos, o que popularmente se fala, deve estar “laceado”.

Assim que saem da fábrica, o material com o qual o tênis foi produzido não sofreu nenhum impacto e, portanto, está mais duro. Isso acontece com o tempo, conforme o uso — inclusive é previsto pelos próprios fabricantes.

Portanto, a recomendação é utilizar o tênis antes da viagem, para que ele naturalmente vá se adaptando ao formato dos seus pés —os fabricantes preveem que isso vai acontecer também. Durante quanto tempo? O suficiente para você esquecer de que o tênis é novo, isto é, que ele não provoca nenhum incômodo e o ato de caminhar ocorre naturalmente.

Muita gente compra o par de tênis meses antes da caminhada, começa a usá-lo e, assim que percebe que está “laceado”, para de usá-lo e o mantém guardado até as vésperas da viagem, com o objetivo de não danificá-lo.

Os fabricantes costumam garantir que um par de tênis tem durabilidade para cerca de 300 quilômetros, alguns mais de 500 km. No entanto, é evidente que ele garante mais conforto e segurança no  início de sua vida útil, ou seja, nos primeiros 100 quilômetros.

O melhor tênis para uma viagem deve ser de qualidade

Outra obviedade que, por mais alertas que se façam, muita gente ignora e o barato acaba saindo caro. Isso não significa comprar um par de tênis de caríssimo (que custe o salário de um trabalhador).

Na hora de comprar o tênis é preciso estar atendo à qualidade do material e ao acabamento. Fibras que rasgam ou deformam com facilidade, costuras ou colas mal feitas, solados que descolam com facilidade…

O tipo de local define o melhor tênis

O melhor tênis para uma viagem deve levar em conta as características do terreno onde a pessoa vai caminhar: se a maior parte em ruas, que tipo de calçamento ela vai encontrar (concreto, paralelepídedos ou pedras, chão batido), a temperatura ambiente, a quantidade de chuva típica para o local.

Por exemplo: escolher um tênis com nenhuma ou fraca impermeabilidade pode prejudicar bastante as caminhadas em uma cidade onde é normal chover bastante. Os pés vão ficar encharcados, o rendimento da caminhada cairá bastante e a sensação de desconforto irá contaminar todo o clima da viagem.

Trilhas e caminhos acidentados exigem um cuidado adicional: o tênis deve um cano mais alto, para proteger e imobilizar os tornozelos. Isso vai evitar torções e até mesmo o rompimento nestas articulações.

Outro cuidado importante é com o tipo de solado: ele deve ser adequado ao tipo de terreno. Não existe um tipo de solado que seja ideal para qualquer tipo de solo, mas há modelos mais versáteis que permitem serem usados em uma maior variedade de terreno.

Chinelo, rasteirinha, papete

Por mais que sejam confortáveis e traduzam um visual descolado, os chinelos, as rasteirinhos e papetes devem ser usados com muita cautela. Além de poderem provocar lesões por conta do uso durante várias horas, podem deixar os pés mais vulneráveis para topadas, tropeções, tombos e até mesmo pisões.

Qual melhor tênis para viajar?

O melhor tênis para uma viagem deve ser escolhido levando em conta dois aspectos principais: o conforto e o tipo de lugar para onde você vai. O tênis não deve ficar absolutamente justo nos pés, pois a tendência é eles incharem durante as caminhadas comuns nas viagens e o calçado fatalmente ficará apertado.

Como você se sentiu?

Animado
0
Feliz
0
Amei
0
Não sei
0
Bobo
0

Você pode gostar também

Mais em:Viagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *