Museu de Pesca
Santos

Museu de Pesca convida para uma viagem submarina

O esqueleto de uma baleia de 23 metros de comprimento é apenas uma das atrações do Museu de Pesca de Santos, um local que já serviu de forte para defender a entrada do porto de Santos e hoje abriga um rico acervo que ajuda a contar a história da cidade e sua relação com o mar. Diversos animais empalhados, uma linda coleção de conchas e uma coleção de areias de praias de todo o Brasil chamam a atenção dos visitantes.

Ossada de baleia no Museu de Pesca

A Baleia
Com 23 metros de comprimento, 193 ossos e 7 toneladas, a baleia-fin (Balaenoptera physalus) foi encontrada encalhada em uma praia de Peruíbe (litoral Sul do Estado de São Paulo) em agosto de 1941, em plena 2ª Guerra Mundial – chegou até a ser confundida por pescadores com um submarino alemão. A retirada do corpo do mar contou com o auxílio da maré e de cordas amarradas nos chifres de dois bois. No ano seguinte, o esqueleto chegou ao museu.

animais taxidermizados no Museu de Pesca

Animais empalhados
O Museu de Pesca possui diversos animais taxidermizados (técnica de preservação do corpo do animal após morto popularmente conhecido como “empalhamento”). Entre eles, uma lula gigante de 5 metros de comprimento e 91 quilos, da espécie Architeuthis sp (a única em exposição no mundo).
Há também a a raia-manta (Manta birostris), que tem 4m40 de envergadura e pesa 600 quilos.

animais taxidermizados no Museu de Pesca

Na Sala dos tubarões do Museu de Pesca estão expostos, entre outros, um exemplar de tubarão-megaboca (Megachasma pelagius), com 1m90; um tubarão-golfinho (Lamna nasus) de 1m80; tubarão-galhudo (Carcharhinus plumbeus) de 1m70 e um tubarão-bico-de-cristal (Galeorhinus galeus), com 70 centímetros, procedente da Ilha dos Açores.

Quarto do Capitão no Museu de Pesca

Quarto do Capitão
Diversão garantida para as crianças é o espaço chamado “Quarto do Capitão”, que foi feito inspirado no filme ‘Piratas do Caribe’. No cenário do quarto com iluminação especial, há uma arca cheia de jóias de mentirinha, um baú lúdico representando um tesouro com imitações de moedas de ouro, uma espada confeccionada com resina e material reciclado e o esqueleto verdadeiro de um macaquinho, como no filme. Para completar o clima, um gato empalhado ‘mia’ para qualquer pessoa que tente se aproximar da cama do capitão.

Há ainda alguns instrumentos de navegação, como timão, lanternas, carta náutica, bússola e bitácula. A figura imaginária foi inspirada no capitão-tenente Garcez Palha, que acompanhou a construção do prédio.

Museu de Pesca possui diversos animais taxidermizados e a ossada de uma baleia de 23 metros e 7 toneladas

O Museu de Pesca está instalado numa fortificação datada do século XVIII, o Forte Augusto, construído para “cruzar fogo” com a Fortaleza da Barra da Grande (localizada do outro lado do canal do estuário), para proteger a entrada do Porto de Santos. Depois, em 1096, abrigou a Escola de Aprendizes-Marinheiros e, a partir de 1933, o Instituto de Pesca Marítima. Foi transformado em museu em 1942, com a chegada da ossada da baleia.
Endereço: Avenida Bartolomeu de Gusmão, nº 192, Ponta da Praia. Telefone: (13) 3261-5260

TAMBÉM VALE A PENA CONHECER:

Aquário de Santos mostra a riqueza do mundo marinho

Vila Belmiro, berço de heróis e conquistas

Orquidário de Santos reúne espécies nativas da mata Atlântica

Como você se sentiu?

Animado
0
Feliz
0
Amei
0
Não sei
0
Bobo
0

Você pode gostar também

Mais em:Santos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *