Bolsa do Café
Santos

Bolsa retrata o auge do ciclo do café

Um prédio imponente, que chama a atenção pela beleza, tamanho,ostentação e riqueza nos detalhes. Construído para simbolizar o poder da cultura cafeeira no Brasil do início do século 20, a Bolsa Oficial do Café foi inaugurada em 1922, também como parte das comemorações do Centenário da Independência do Brasil.

A Bolsa do Café é um prédio construído em estilo eclético, isto é reúne vários estilos arquitetônicos, e se destaca pela grandiosidade: com cerca de 6 mil metros quadrados de área construída, conta com mais de 200 portas e janelas, pisos com mármore de Carrara (Itália), vitrais da República Tcheca, dezenas de estátuas, pinturas gigantescas e uma torre de 40 metros, onde está instalado um imenso relógio suíço.

Bolsa do Café

A Bolsa do Café é a segunda atração turística mais visitada de Santos (perde apenas para o Aquário): por ano, recebe cerca de 374 mil pessoas.
No auge do ciclo cafeeiro no Brasil, que praticamente movia toda a economia nacional, era na Bolsa do Café onde aconteciam as negociações do chamado Ouro Verde. Após a crise de 1929, o setor perdeu força e gradativamente foi perdendo importância, assim como o pŕédio, que foi se desgradando até ser fechado no fim da década de 1970.

Em 1981, tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat). Foi reinaugurado em 1998, após dois anos de uma profunda reforma que devolveu as caracaterísticas originais do prédio. O visitante certamente vai se surpreender com suas instalações.

Bolsa do Café. Foto: Gino Pasquatto

Pórtico de Entrada
Logo na entrada, há um pórtico com colunas monumentais com duas estátuas grandiosas: uma representando Mercúrio (o deus do Comércio) e outra Ceres (a deusa da Agricultura). Acima da porta principal de acesso do prédio encontra um pequeno vitral com o símbolo dos ‘Estados Unidos do Brasil’, nome do país à época da inauguração do prédio e que permaneceu até 1967. Em destaque, também, o Brasão das Armas do Brasil, composto de um ramo de café e um de fumo, as duas culturas mais importantes do país na Proclamação da República (1889).

Sala do pregão na Bolsa do Café

Sala do Pregão
No saguão principal do térreo há a Sala do Pregão, onde ocorriam as negociações que fixavam as cotações diárias das sacas de café. Em disposição circular, há 81 cadeiras mesas confeccionadas em madeiras nobres (imbuia e jacarandá), onde, entre uma negociação e outra, os magnatas do café jogavam dados.


A disposição do mobiliário, em estilo art noveau, representa a hierarquia da antiga bolsa: 11 cadeiras principais destinadas ao presidente, ao centro, e aos secretários, ao lado, e as outras 70 ao redor, aos corretores. Produtores e exportadores assistiam às sessões no mezanino. Os pregões foram realizados até 1950.


No piso de desenhos geométricos, com mármores da Grécia, Espanha e Itália, destaca-se a estrela de Davi, elemento de referência maçônica.


Vitral
Ao olhar para cima, o visitante verá um grande vitral, um dos primeiros feitos no país com temática brasileira: ‘A epopeia dos bandeirantes’ também leva a assinatura de Benedicto Calixto. Confeccionado pela Casa Conrado, famoso ateliê da capital paulista, mostra alegorias e configurações simbólicas para representar a riqueza de três períodos da história.

Na cena central ‘A visão do Anhanguera: a Mãe d’Ouro e as Mães d’Água’, destaque para o ouro do Brasil Colônia. A agricultura de café, cana-de-açúcar e algodão do Império está representada na cena ‘A Lavoura e Abundância’, à esquerda, enquanto o comércio, a exportação e a modernização da República estão evidenciados em ‘A Indústria e o Comércio’, à direita.


Painéis
Ao fundo da sala do pregões, há três imensos painéis produzidos pelo pintor Benedicto Calixto, que mostram as transformações urbanas e econômicas da cidade de Santos, desde a a fundação da Vila, em 1822, até 1922, quando o prédio foi inaugurado.

Painel de Benedicto Calixto


Tela esquerda- Denominada ‘O Porto de Santos em 1822’, mostra uma pequena vila de poucas ruas e muitas igrejas, com uma concentração populacional na região portuária, exportadora de açúcar. A tela é ladeada por imagens de aves da fauna brasileira e dos brasões do Brasil Colonia e do Brasil Reino, com frases representando cada período – ‘Trabalho e Ordem’ e ‘Lavoura e Comércio’, respectivamente.
Tela central – Denominada ‘A Fundação da Vila de Santos – 1545’, representa o momento da leitura pública do Foral de Elevação do povoado à categoria de vila. O pintor faz uma descrição da composição social da vila e das famílias, e destaca três construções:
a Igreja da Irmandade de Nossa Senhora da Misericórdia, ainda em obras; a Casa do Conselho, à esquerda, e a capela de Santa Catarina, construída sobre o outeiro, à direita.
Tela direita- Em ‘O Porto de Santos em 1922’, Benedicto Calixto retrata amesma região central, 100 anos depois, com as mudanças desencadeadas pelo comércio do café: nova estrutura portuária, ferrovia, desenvolvimento urbano e mudanças arquitetônicas. Também ladeada por imagens de aves da fauna, a pintura apresenta os brasões do Brasil Império e do Brasil República, com as frases de inspiração positivista ‘Artes e Indústrias’ e ‘Evolução e Progresso’.

Torre do Relógio do Museu do  Café.


Torre do Relógio
No alto da torre de 40 metros de altura (o dobro da altura do prédio da Bolsa do Café) está instalado um gigantesco relógio inglês, notável por sua precisão. Na base da torre há quatro estátuas, cada uma com 4,5 metros de altura, esculpidas em massa fina cinza claro pelo artista belga Andrien Henri Vital van Emelen, direcionada para um ponto cardeal cada uma representando um tipo de trabalhador: operário, agricultor, comerciante e navegante.


Programação dinâmica
Além do rico passado, a Bolsa do Café de Santos também abriga diversos eventos culturais (exposições, palestras, debates, cursos), não apenas sobre o segmento cafeeiro, mas com assuntos interessantes aos mais variados públicos.

Cafeteria do Museu do Café


Cafeteria
O grande destaque de todo a Bolsa do Café é a Cafeteria do Museu, que serve a bebida em variados preparos e também comidas que tem o café entre os ingredientes. O visitante pode levar pacotes de café (em pó moído na hora ou em grãos) de diversas procedências, além de acessórios e souvenires.
Endereço: Rua Xv de Novembro, 95, Centro Histórico. Telefone (13) 3213-1750.

Como você se sentiu?

Animado
0
Feliz
0
Amei
0
Não sei
0
Bobo
0

Você pode gostar também

Mais em:Santos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *